Home
Home Present & Past Positions Research & Development Editorial Activity Publications Sites & Projects Multimedia & Presentations Lectures and Talks Consultancy Activity Entrepreneurial Activity Teaching Students Organization of Meetings Associations & Societies Awards and Prizes Related Resources Personal Profile Personal Schedule Media Exposure News Site Map Contact Information Em Português


TRABALHOS DE NEUROCIêNCIAS E COMPORTAMENTO

Métodos e programas de análise quantitativa do comportamento observado

Sabbatini, R.M.E. - Um método quantitativo para a construção do etograma em estudo de observação sistemática do comportamento. Resumos das Comunicações da IV Reunião Anual da Sociedade de Psicologia de Ribeirão Preto, p. 4, 1974.

De modo a tornar mais preciso e objetivo o difícil processo inicial de todo estudo de observação sistemática do comportamento, desenvolveu-se neste laboratório uma metodologia quantitativa para a construção e avaliação do catálogo das unidades comportamentais que compõe o repertório dos sujeitos de estudos em uma dada situação. Esta metodologia consiste em repetição de um conjunto de procedimentos, que, simultaneamente treinam os observadores envolvidos, avaliam a fidedignidade do método de observação e permitem a modificação objetiva do catálogo, com respeito a números e tipos de itens, critérios absolutos e diferenciais, definições, etc. As interações são terminadas ao se atingirem os índices mínimos de fidedignidade determinados previamente. Após ter levantado um catálogo básico, pela observação qualitativa dos sujeitos na situação de estudo (suposta como previamente padronizada) e ter sido realizado treinamento dos observadores, passa-se as interações, cada uma deles consistindo no seguinte: a) observação sistemática de várias seqências comportamentais (ao vivo, gravadas em vídeo ou filme, ou encenadas), por dois observadores utilizando a versão anterior do catálogo. b) transcrição e comparação entre os registros de cada observador para cada sessão. Em caso de seqências observadas em vídeo ou filme, pode-se fazer também a comparação entre os registros do mesmo e de diferentes observadores em diferentes ocasiões. c) Construção de uma matriz bidimensional onde cada casela contem a frequência com que o item i do primeiro registro coincidiu com o item j do segundo registro; acumulada para todas as sessões. A partir desta matriz, calcula-se os índices de fidedignidade, observabilidade, etc., para cada item e para o total. d) Se os índices ainda não atingiram o critério, a matriz é examinada por um conjunto de técnicos matemáticas e lógicas, que permitam identificar objetivamente as causas prováveis de discordância e omissão para cada item, permitindo portanto a modificação de catálogo e método de observação, e seu teste por uma nova iteração. Uma série de programas em FORTRAN foi preparada para a execução automática dos passos de comparação, construção de matriz e calculo, e diagnóstico de erros. Esta metodologia tem sido utilizada com sucesso em estudos de observação do comportamento de gatos, e de ratos albinos em situação atual (Lucion, Ribeiro de Almeida e Sabbatini, 1974).

<

Sabbatini, R.M.E. - Um sistema para processamento e análise de dados por computadores digitais em estudos de observação sistemática do comportamento. Resumos das Comunicações V Reunião Anual de Psicologia, p. 28-29, 1975.

Sabbatini, R.M.E. - ETHODATA 3 : a FORTRAN-based system for the statistical analysis of patterns and sequences of behavior. Ciência e Cultura , 27 (supl.): 345, 1975.

Sabbatini, R.M.E. - ETHODATA 3: preliminary information. Laboratory of Neuroethology Technical Reports 76/03, Ribeirão Preto: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. 13 pp., 1976.

Um registro obtido por observação sistemática do comportamento consiste tipicamente em um conjunto de símbolos (itens comportamentais), ordenados com preservação ou não da seqência, e com alguma forma temporal de informação temporal associada. As análises quantitativas mais comuns feitas sobre estes dados envolvem a contagem da frequência simples dos itens, ou ainda medidas de latência e duração. As interações entre as unidades ou itens sucessivos nos registros podem ser descritas através de matrizas de contingência (quantas vezes um item I aparece juntamente com um item J, dentro de um período ou unidade de registro) ou de transição (quantas vezes um item I antecede um item J na seqência). Métodos estatísticos não paramétricos são freqentemente usados nestas matrizes para decidir sobre a significação de certas interações. O número e complexidade dos registros, a forma de codificação, o tamanho das matrizes e a natureza dos procedimentos estatísticos e gráficos utilizados, em geral tornam obrigatório o emprego de um computador digital. Entretanto poucas alternativas tem sido feitas para desenvolver programas de uso geral para estes propósitos. Na presente comunicação é descrito um sistema integrado de programação para o processamento e análise de dados originado de estudos utilizando métodos de observação sistemática do comportamento; e denominado de ETHODATA 3. Este sistema é constituído basicamente de subrotinas e funções escritas em FORTRAN IV, inteiramente documentados: e que podem ser chamados na ordem desejada por um programa de controle simples escrito pelo próprio usuário. Um conhecimento elementar de FORTRAN é na maioria das vezes suficiente para programar-se complexas análises de dados. Outras características importantes do sistema são: pode ser implementado em qualquer computador de médio ou grande porte; é facilmente modificável pelo usuário e novos programas podem ser adicionados, quando necessário ao sistema (desde que possui a filosofia de sistema aberto) ; duas subrotinas de dimensionamento livre, podendo executar problemas de diferentes tamanhos; e pode aceitar ainda dados codificados numérica ou alfabeticamente (com qualquer número de caracteres), colhidos por amostras de eventos ou de tempo. Quanto aos métodos estatísticos e numéricos que oferece, pode construir matrizes de contingência ou transição de qualquer ordem (opcionalmente se as matrizes já existirem, as mesmas podem ser lidas para análises posteriores), e analizá-las por diversos métodos (inclusive X2). Métodos de análise multivariada e de classificação tais como análise de componentes principais, análise fatorial e análise de componentes, isto é, de aglomerados também são disponíveis. é possível ainda efetuar análises de série de tempo e informacionais. Com grande facilidade, estudos de interação intra e intra-individuais, e combinação e partições de conjuntos de dados podem ser realizadas. Gráficos e diagramas na impressora de linha ou no "plotter" são contemplados também no sistema, para assistir a interpretação de resultados. Presentemente o sistema esta implementado para o IBM 1130, e em vias para implementação no Burroughs B-3500 e B-6700. Pessoas interessadas em usar o sistema devem se dirigir ao autor para cópias da documentação e programas.

Sabbatini, R.M.E. - ETHODATA 3 - Manual de Programação, Versão 1.1. Departamento de Fisiologia, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (SP), Brasil, 400 pp, 1976.

ETHODATA 3 é um sistema integrado de programação para o processamento e análise de dados originado de estudos utilizando métodos de observação sistemática do comportamento. Este volume contém as listagens completas e comentadas de todas as subrotinas e programas principais do Sistema ETHODATA 3 em sua versão 1.1, em FORTRAN IV para o sistema Burroughs B-6700. Os programas são apresentados em ordem alfabética do nome.

>Sabbatini, R.M.E. - SISTEMA ETHODATA 3. Manual do Usuário para o sistema Burroughs B-6700. Versão 1. Departamento de Fisiologia, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil, 1976.

ETHODATA 3 é um sistema integrado de programação para o processamento e análise de dados originado de estudos utilizando métodos de observação sistemática do comportamento. Este volume contém as instruções de uso (parâmetros de entrada e saída) de todas as subrotinas do Sistema ETHODATA 3 em sua versão 1.1, em FORTRAN IV para o sistema Burroughs B-6700. Os programas são apresentados em ordem alfabética do nome.

Sabbatini, R.M.E. - The ETHODATA 3 system: additions for Release 1.2. Laboratory of Neuroethology Technical Reports 79/02. Ribeirão Preto: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. ## pp, 1979.

ETHODATA 3 é um sistema integrado de programação para o processamento e análise de dados originado de estudos utilizando métodos de observação sistemática do comportamento. Este volume contém as listagens completas e comentadas de diversas subrotinas e programas adicionados à versão 1.1 do Sistema ETHODATA 3, em FORTRAN IV para sistemas DEC-10, DEC-20 e VAX. Os programas são apresentados em ordem alfabética do nome.

Sabbatini, R.M.E. - ETHODATA 4: a set of programs for real-time acquisition and analysis of behavioral events in a microcomputer. Ciência e Cultura , 30: 918, 1980.

Computadores digitais tem sido crescentemente usado para executar análises quantitativas de registros de comportamento obtidos por técnicas de observação sistemática. Com o advento dos baratos, mas poderosos microcomputadores, foi possível a implementação de ambas as fases, neste mesmo equipamento dedicado. Desenvolvemos, para esta finalidade, um conjunto de programas escritos em BASIC Nível II para sistema TRS-80, um microcomputador pessoal (Tandy/Radio Shack, USA) amplamente disponível, que permite a aquisição de dados e análise estatísticas de seqências de comportamento obtidas por métodos de observação direta. O sistema, chamado de ETHODATA 4 (ETHOlogical DATa Analysis) é uma adaptação do sistema ETHODATA 3, escrito em FORTRAN para computadores de grande porte; e consiste dos seguintes programas: RECORD, para registrar os eventos de comportamentos e seus respectivos tempos decorridos, na forma de códigos alfanuméricos, em tempo real; TRANSC, para transcrever, da mesma maneira, dados registrados originariamente em equipamento de áudio ou vídeo; DICTN, para definir e entrar etogramas ou catálogos comportamentais; DECOD, para decodificar registros comportamentais codificados alfanumericamente, produzidos pelos programas anteriores (verbo, sujeito, objeto, modificadores de duração e etc., são permitidos na sintaxe de formato livre); MONAD, para analisar registros decodificados em termos de frequência, duração, latência, etc., para cada unidade de comportamento; DYAD, para analisar matrizes de transição e contingência entre unidades comportamentais; CLUST, para classificar comportamento pela análise numérica de aglomerados; e FACT, para executar análises fatoriais de matrizes de associação. Todos os programas fazem uso de arquivos de dados intermediários, manipulados de uma maneira uniforme, e armazenados em fitas cassete ou disquete. Nossa experiência com esse pacote evidencia diversas vantagens do microcomputador, principalmente devido a sua disponibilidade e natureza interativa de processamento de dados.

Sabbatini, R.M.E. - ETHODATA 4: um sistema para a aquisição e análise de dados comportamentais em microcomputadores. Anais do I Forum Nacional de Ciência e Tecnologia em Saúde. Caxambu, MG, pp. 348-351, 1992.

Com o advento dos microcomputadores, tornou-se possível realizar em uma única máquina a automação de todas as fases de registro, transcrição e análise dos registros comportamentais obtidos por observação direta, metodologia esta freqentemente usadas em psicologia, psiquiatria, etologia, e outras áreas. No presente trabalho, relatamos as caracteristicas de um sistema de software, denominado ETHODATA 4, desenvolvido para microcomputadores pessoais do tipo IBM-PC, para aquisição de dados e análise estatística de seqências de comportamento obtidas por observação direta e sistemática, por meio de módulos para registro em tempo real, definição de catálogos comportamentais, decodificação de seqências, análise estatística monádica, diádica, de aglomeração e fatorial.

Resumos das Comunicações da X Reunião Anual da Sociedade de Psicologia de Ribeirão Preto, p. 25, 1980.

Em muitos estudos de observação sistemática do comportamento, há a necessidade de se registrar informações sobre o tempo transcorrido, ao lado das unidade comportamentais observadas. Estas informações são usadas posteriormente para o cálculo de medidas de latência, duração, etc. O número de volta dado pelos carretéis de transporte da fita em um gravador de fita de vídeo ou de áudio, onde se registrou continuamente o comportamento, por filmagem ou ditado, pode ser utilizado para monitorar o tempo transcorrido, pois é proporcional ao mesmo, observando uma curva parabólica. Muitos gravadores dispões de conta-giros digitais desse tipo. Entretanto, a conversão de medidas obtidas no conta-giros para unidades de tempo não é simples, pois a curva da calibração que descreve a relação entre as duas medidas não é linear. Além disso, o método de interpolação gráfica desenvolvido por LUMSDEN (J. Psychology, 93:101-3, 1976) não se presta para grande volumes de dados. Por isto, desenvolvemos um procedimento mais rápido e preciso, que permite determinar os parâmetros da curva de calibração, por meio de uma análise de regressão parabólica. A curva é construída anotando-se os valores observados no conta-giros do gravador. Cada marca, tipo ou capacidade diferente de fita magnética necessita uma curva de calibração própria. Os parâmetros da parábola que melhor se ajustam aos dados de calibração assim tomados são calculados pelos parâmetros das formulas adequadas, e puderam ser utilizados posteriormente para converter-se valores em unidades do conta-giros anotados durante a transcrição de uma sessão de observação, a partir do gravador de fita, em medidas de tempo. Este procedimento pode ser realizado manualmente, ou com o auxílio de calculadoras programáveis ou computadores. Foram desenvolvidos para este fim, programas em FORTRAN e BASIC, para efetuar os procedimentos de calibração e de conversão automaticamente. Tais programas fazem parte do sistema ETHODATA 3 e ETHODATA 4, desenvolvidos pelo autor para o processamento a análise de dados observacionais em computadores digitais e microcomputadores, respectivamente, e foram usados com sucesso para a conversão automática de valores de conta-giros em registros comportamentais alfanuméricos perfurados em cartões IBM.

<

Sabbatini, R.M.E. - Distâncias interindividuais e comportamento: um conjunto de técnicas e programas de computador para o registro e análise de variáveis espaciais em estudos observacionais. Resumos das Comunicações da X Reunião Anual da Sociedade de Psicologia de Ribeirão, p. 25, 1980.

Os padrões de comportamento e localização espacial e as distâncias interindividuais são variáveis importantes na análise dos processos de interação agonística, sexual, material e social em muitas espécies, particularmente em primatas humanos e não -humanos. O registro simultâneo de localização espacial e do comportamento observado nos indivíduos de um agrupamento social permite um estudo quantitativo de grande número de problemas relativos a posição social, dominância, formação de territórios e domínios esfera de espaço individual, etc. e sua correlação com fatores etários, sexuais e biológicos, assim como as características do comportamento exibido. Entretanto o progresso nesta área vem sendo dificultado pelos problemas técnicos de difícil solução, para conseguir-se registros deste tipo, assim como pela ausência de métodos analíticos adequados. Neste trabalho relatamos o desenvolvimento e aplicação de uma metodologia de registro semi-automático do comportamento e da posição espacial por observação direta e sistemática, utilizando-se um microcomputador de baixo custo para a aquisição e análise de dados. Um conjunto de programas em BASIC, escritos para este microcomputador (TRS-80 Model I, LEVEL II, com 32 Bytes de memória, terminal de vídeo e gravador de fita cassete, fabricado pela Tandy/RadioShack, USA, permitem a sua utilização efetiva em tempo real. Com este método, as informações de localização espacial de cada indivíduo em observação (direta ou filmada) ao longo da sessão, são entradas pelo teclado do microcomputador, na forma de códigos referentes as locações no ambiente de observação (marcadas, por exemplo, como uma grade regular ou irregular no próprio ambiente, ou superpostas sobre a tela de projeção ou monitor de vídeo gravação, por ocasião da transcrição). O tempo transcorrido desde o início da sessão é calculado automaticamente pelo computador. Da mesma forma são entrados os códigos correspondentes aos comportamentos constantes do repertório do animal (etograma), sujeitos, objetos, eventos espaciais, etc. Estas informações são gravadas pelo microcomputador, após editoria pelo observador, em uma fita cassete, e que serão utilizados posteriormente para se efetuar os diversos tipos de análise, no mesmo microcomputador, ou em um computador de maior porte. As distâncias interindividuais médias ou ao longo do tempo, para cada par de indivíduos observados, as localizações preferidas e a duração de estadia em cada uma delas, a seqência de locações ocupadas por um indivíduo ao longo do tempo, etc., podem ser analisadas por diferentes programas. Outras técnicas de análise permitem correlacionar comportamentos exibidos e os parâmetros espaciais e localização absoluta e relativa, e distancias interindividuais, através de programas especiais. é possível também a reconstituição em tempo real, expandido ou comprimido, das trajetórias espaciais dos indivíduos ao longo de uma sessão de observação, notando-se na tela do computador, ou sobre uma traçadora digital de alta velocidade, o esquema tridimensional em perspectiva ao ambiente de observação e as localizações nela projetada. Todos os programas desenvolvidos fazem parte dos sistemas ETHODATA e e ETHODATA 4, desenvolvidos pelo autor para o processamento e análise de dados observacionais em computadores digitais e microcomputadores, respectivamente.

Sabbatini, R.M.E.; Maurus, M. - A method of semi-automatic recording of spatial position of animals by visual observation. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, 14 (4): 494, 1981.

Os padrões de posicionamento espacial e de distâncias interindividuais são variáveis importantes na análise dos processos de comunicação social em muitas espécies. Com o objetivo de elucidar seu possível papel no comportamento observado, foi desenvolvida uma técnica para o registro preciso da posição individual de cada animal em uma colônia de macacos-de-cheiro (Saimiri sciureus) pela observação visual de registros filmados. Para este propósito, o filme é projetado quadro a quadro sobre uma tela especial contendo um desenho da caixa de observação, onde uma grade regular definindo as posições é demarcada. As posições ocupadas sucessivamente por cada macaco são registradas entrando-se códigos numéricos individuais para as posições e para um macaco num teclado de um registrador digital de eventos, juntamente com um código de tempo adquirido pelo próprio aparelho a partir do contador de quadros do projetor. O filme pode ser movido a qualquer velocidade e em qualquer direção sem que o referencial de tempo associado ao registro comportamental seja perdido. Uma fita perfurada de papel é produzida pelo registrador de eventos e pode ser posteriormente lida em um computador digital e analisada. Desenvolveu-se especialmente para este fim um conjunto de programas em FORTRAN, para processar e descodificar as fitas (TAPES), assim como para analisar os registros posicionais em conjunto com o comportamento observado. Com sua ajuda, podem ser traçados gráficos de percurso e movimentação, localizações preferidas, evoluções de distâncias interindividuais em função do tempo; realizadas análises monádicas e diádicas da unidades comportamentais e/ou posições espaciais, etc. A técnica pode ser adaptada com facilidade a outros animais, e possibilita medidas grandemente acuradas e detalhadas, dependendo da finura da grade.

Sabbatini, R.M.E.; Marino Neto, J. - Algorithms for automatic segmentation of behavioral sequences into functionally homogeneous sub-units. Ciência e Cultura. 31 (Supl.) p. 839, 1981.

Quando seqências comportamentais são consideradas como sendo processos estocásticos, a sua análise posterior, com base em modelos markovianos, é consideravelmente dificultada pela presença de não estacionariedades nas probabilidades de transição entre as unidades comportamentais básicas. Na ausência de métodos numéricos adequados para tratar tais seqências, é preciso segmentar o fluxo contínuo de comportamento em sub-seqências funcionalmente homogêneas, ou seja, aquelas que, dentro de um determinado período de tempo, exibem probabilidades de transição estacionárias e que estão servindo à alguma função comportamental maior (alimentação, limpeza, etc.). De modo a tornar possível tal processo de segmentação, de maneira objetiva, usando uma técnica numérica computadorizada, estudamos comparativamente diversos algoritmos, através da simulação de seu uso em seqências observadas reais em peixes, e obtidas por estimulação elétrica do cérebro de gatos, apresentando alta não estacionariedade. Cada item comportamental recebe um número individual, que representa quantitativamente sua relação de pertinência a um aglomerado funcional de itens. Estes aglomerados podem ser obtidos por critérios subjetivos ou objetivos (por exemplo, análise fatorial ou de aglomerados). Alternativamente, "distâncias" entre cada item em um espaço conceitual organizado em n-tuplas podem ser derivadas por meio de análises de dados empiricos de associação, usando técnicas multivariadas semilares. A segmentação consiste na detecção automática de "distâncias" mútuas grandes entre itens sucessivos em uma seqência, de modo a caracterizar uma interrupção ou mudança de um estado funcional para outro. Estes valores, quando colocados em função do tempo, constituem uma função de "mapeamento", que pode ser ponderada por fatores de tempo e distância métrica. Técnicas de alisamento numérico podem auxiliar a remover, por ação similar a um filtro, as flutuações aleatórias nestas funções. Este método foi capaz de separar as subseqências desejadas para fins de análises estocásticas posteriores, e para outros tipos de avaliações quantitativas. Foram implementados programas em BASIC, para este propósito (subsistema ETHODATA 4). Entretanto, transições graduais, caracterizadas por períodos de instabilidade (ou seja, mudanças rápidas entre segmentos comportamentais curtos) ainda precisam ser adequadamente consideradas. Estamos investigando presentemente novos algoritmos com este objetivo.

Sabbatini, R.M.E. - Um modelo de gramática finita para a descrição e análise do comportamento por observação direta e sistemática. Ciência e Cultura, 32 (Supl.): 912, 1982.

Uma das características da abordagem etológica no estudo do comportamento é a descrição completa, no espaço e no tempo, das unidades motoras observáveis emitidas pelo organismo em observação, como um todo. Deste modo, o observador convenciona desde o início uma "linguagem" de descrição do comportamento, com regras de ortografia e sintaxe bem definidas. Por outro lado, o comportamento pode ser caracterizado como uma "linguagem" de expressão, atuação e comunicação do organismo, constituindo-se de unidades relativamente estereotipadas ("fonemas") emitidos seqencialmente em grupos ("frases") que supostamente tem algum significado ("semântica"). As analogias destes dois processos, o do fenômeno comportamental e o do observado, levou-nos a experimentos com modelos baseados em computadores digitais, para estudá-los como estruturas gramaticais do tipo finito. Foi desenvolvido um algorítmo altamente preciso e estruturado, para definir e registrar qualquer tipo de seqência comportamental, utilizando-se regras gramaticais de estado finito. Assim as frases comportamentais podem incluir itens descritivos do tipo "quem fez o que a quem, quando, onde e como", na descrição observacional, e incorporando um grande número de dispositivos de detecção de erros de sintaxe e ortografia, redundância e flexibilidade descritivas, etc. Este programa foi incorporado ao sistema ETHODATA 3, para o registro e análise do comportamento em computadores digitais. Em segundo lugar, o modelo de gramática finita, probabilísticas (cadeias de Markov) ou não (análise sintática do comportamento), possibilitou a implementação de programas de análise seqencial das cadeias comportamentais observadas. Atualmente investiga-se um modelo de parcelamento ("parsing") computacional de cadeias comportamentais utilizando-se modelos mais avançados de gramática gerativa (modelos hierárquicos) de grande valor heurístico.

Sabbatini, R.M.E. - As aplicações do método etológico na análise quantitativa da postura e do gesto. Anais do I Colóquio Franco Brasileiro de Ergonomia e Biometria, Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas, (Volume II): p. VIII-1 a VIII-13, 1984.

A etologia é a ciência de estudo do comportamento que se caracteriza por a) uma abordagem metodológica (o estudo do organismo em seu ambiente natural, e através da observação direta); b) basear-se no arcabouço da teoria da evolução, tentando explicar o comportamento de um organismo através de sua filogenia, ontogenia e função. O método etológico de observação direta e de análise global do comportamento (i.e., não reducionista), oferece muitas vantagens quanto ao estudo e à caracterização da estrutura espacial e temporal das seqências e padrões comportamentais objetivos. O autor faz uma revisão das principais formas de análise objetiva das posturas e dos gestos por meio da metodologia etológica, incluindo técnicas computacionais de análise e síntese.

Sabbatini, R.M.E. - Reconhecimento automático de padrões e seqências comportamentais utilizando redes neurais artificiais. Anais do IX Encontro Anual de Etologia. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, p. 202, 1992.

A identificação, isolamento e quantificação dos padrões e seqências presentes no comportamento de um animal, são pontos centrais da metodologia etológica. Diversas técnicas estatísticas foram desenvolvidas com essa finalidade, tendo como base modelos de Markov, gramaticais, e outros; todos eles bastante trabalhosos quanto à programação, e de resultados duvidosos quando o fluxo do comportamento tem probabilidades de transição instáveis. A abordagem apresentada neste trabalho parte de um pressuposto inteiramente diferente. Como o nosso sistema nervoso (e o dos animais que tem que reconhecer padrões comportamentais comunicativos complexos em seus conspecíficos) funciona tão bem nessa tarefa ? A resposta está na emulação das redes neurais que são capazes de efetuar os procedimentos fundamentais de reconhecimento e segmentação de padrões a partir do fluxo contínuo do comportamento. Desenvolvemos um simulador de redes neurais artificiais de tipo perceptron, com 3 camadas, capazes de aprender tarefas de reconhecimento de padrões através do algoritmo da retropropagação de erros. Este programa (NEURONET, para microcomputadores de 16 bits), foi treinado a reconhecer padrões (perfis não seqenciais) e seqências comportamentais de exemplo, classificadas previamente por um observador humano; até atingir o critério de 98.7 % de acertos. Utilizando perfis e seqências de teste, a rede neural foi capaz de identificar o padrão correto em cerca de 90 % das mesmas. Outras possibilidades abertas com o uso de redes neurais são: a) a obtenção de um gráfico temporal mostrando as probabilidades de ocorrência das classes de comportamento ao longo do tempo. Estas curvas podem ser segmentadas (detecção de gradientes) através de uma segunda rede neural, que simula a organização da inibição lateral na retina. b) a quantificação do grau de estereotipia dos padrões e seqências comportamentais; c) a detecção e interpretação automática de vocalizações e outros sinais contínuos emitidos por um animal; d) a implementação de sistemas de observação e categorização do comportamento totalmente automáticos (sem necessidade de observador humano) através da análise de imagens gravadas em filme e vídeo, por redes neurais artificiais. O presente trabalho pode demonstrar de forma definitiva a viabilidade e grande utilidade dos sistemas computacionais neuromórficos em etologia, utilidade esta que deverá aumentar com o aparecimento de neurocomputadores hiperparalelos verdadeiros.

Dr. Renato M.E. Sabbatini, Phd - 2004
 


Web Sabbatini.com

Copyright © 1995-2019 Renato Marcos Endrizzi Sabbatini
Last updated: 2/January/2019