Home
Home Present & Past Positions Research & Development Editorial Activity Publications Sites & Projects Multimedia & Presentations Lectures and Talks Consultancy Activity Entrepreneurial Activity Teaching Students Organization of Meetings Associations & Societies Awards and Prizes Related Resources Personal Profile Personal Schedule Media Exposure News Site Map Contact Information Em Português


TRABALHOS DE NEUROCIêNCIAS E COMPORTAMENTO

Mecanismos neurais e comportamentais do comportamento social de ratos albinos

 

Lucion, A.B.; Sabbatini, R.M.E.; Ribeiro de Almeida, A. - Metodologia etológica para o estudo quantitativo do comportamento do rato albino em situação social. Resumos das Comunicações da IV Reunião Anual da Sociedade de Psicologia de Ribeirão Preto, p. 5, 1974.

O presente trabalho tem por objetivo desenvolver uma metodologia sistemática para a descrição e análise quantitativa do comportamento do rato albino em situação atual. Esta metodologia abrange: a) padronização de um ambiente, composição da colônia e técnicas para seu estabelecimento, método das amostragens das observações, etc. b) Construção de um catálogo dos atos e posturas comportamentais desta espécie na situação padronizada. c) Técnicas de observação, registro, transcrição e análise do comportamento. Para a construção do catálogo, foram feitas observações qualitativas em 7 colônias, a partir de uma descrição básica do comportamento social de ratos fornecida por Grant e Mackintosh (1962) e Barnett (1958). Os sujeitos de cada colônia (3 machos e 2 fêmeas esterilizadas por ligação dos corpos uterinos, todos albinos Wistar de 90 dias) foram introduzidos no ambiente experimental (caixa de 70 x 70 x 40 cm, com frente de vidro e chão com serragem, com água e comida, e material para roer e construção de ninhos) na seguinte ordem: o macho mais pesado e as duas fêmeas primeiro, e 24hs após os machos restantes. As caixas contendo as colônias ficaram em uma câmara isolada acusticamente, ventilada, e com ciclo claro-escuro controlado (10 x 14 hs). As sessões de observação (20 a 25 min. cada) foram distribuídas ao longo de 8 horas, a partir do ciclo escuro, sendo registradas em fitas de áudio ou anotadas qualitativamente em protocolos. O catálogo desenvolvido consta atualmente de 69 atos e posturas, não agrupadas em categorias, observados em todos os animais das colônias, e procurando abranger todos os tipos de padrões observados. Cada item é definido em teremos de postura, movimento principal e acessórios, e foco de atuação, procurando-se ressaltar as características que melhor identificam ou diferenciam este item. A avaliação deste catálogo e da metodologia de observação está sendo feita através de um processo interativo desenvolvido por Sabbatini (1974).

 

Lucion, A.B.; Sabbatini, R.M.E. - Análise etológica do comportamento do rato albino em situação social. Ciência e Cultura, 27 (supl.): 739, 1975.

O presente estudo teve por objetivo a análise da atividade comportamental do rato albino em situação social, utilizando para isso uma abordagem etológica. Cada colônia foi formada por ratos albinos Wistar de ambos os sexos (3 machos e 2 fêmeas), colocados em uma caixa comunal, que apresentava condições que permitissem o aparecimento de grande número de comportamentos espécies-específicos, onde permaneceram durante todo período de observação. Construiu-se um catálogo de itens comportamentais (etograma), que foi submetido a testes de concordância inter-observadores. Como este estudo preocupo-se com a atividade comportamental do rato macho dominante, tomaram-se certas medidas para evidenciar-se claramente a hierarquia de dominância. O registro da atividade comportamental foi feito em gravador de áudio, utilizando o catálogo previamente definido, e fazendo-se transcrição temporal ordenada das sessões de observações em folha de protocolo especial. A partir daí foram construídas matrizes acumuladas de 1ª ordem das associações seqüenciais entre os itens, cuja significância foi determinada pela estatística do X2, usando um computador digital. A fim de permitir a visualização do fluxo comportamental, foram construídos gráficos representativos da frequência de cada item, bem como a existência e o grau de associação entre os itens, formando padrões de comportamento. Concluiu-se que a atividade do rato albino em situação social é constituída principalmente de atos de exploração do ambiente e de atos de investigação e contato com outros membros da colônia. Associado às atividades exploratórias do ambiente, há um padrão de itens de autolimpeza, ao passo que associado ao padrão de investigação social encontram-se atividades agonísticas e de relacionamento sexual. A metodologia empregada mostrou-se eficaz para uma análise detalhada e quantificação do comportamento do rato albino em situação social.

 

Lucion, A.B.; Sabbatini, R.M.E. - Análise neuroetológica do comportamento social do rato albino. Resumos das Comunicações III Encontro Ciências Biológicas. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo: 6, 1975.

O objetivo desse experimento foi analisar a estrutura social de ratos albinos e o efeito da lesão da área septal sobre esta estrutura e sobre o comportamento individual do macho dominante, utilizando-se ema abordagem etológica. Os animais (ratos albinos Wistar e 90 dias de idade) foram colocados em ambiente semi-natural especialmente construído, formando 10 colonias de 5 animais (3 machos e 2 fêmeas). As fêmeas foram esterilizada previamente pela ligadura dos cornos uterinos, para evitar o aparecimento de ninhadas. O método de registro comportamental consistiu na observação direta e sistemática dos animais. Para isso foram descritas objetivamente unidades de comportamento catalogadas em um etograma. Com base neste, foram feitas 10 sessões de observação em cada colônia, redigindo-se um relatório descritivo da atividade comportamental da colônia. As observações eram feitas diariamente no início do período escuro, quando ocorria maior atividade dos animais, principalmente social. Constatou-se que na fase pré-operatória (controle) havia uma estrutura social de dominância na colônia. Existia em cada colônia um animal macho mais agressivo, isto é, que emitia em maior frequência atos comportamentais como postura agressiva, investir, lutar e dominar característicos do padrão agressivo. Os outros machos geralmente assumiam papéis subordinados, caracterizados pela predominância de itens comportamentais como postura defensiva, submissão e imobilidade. Freqüentemente eles apresentavam lesões corporais decorrentes da luta, o que não acontecia com o macho dominante ou com as fêmeas. Na fase pós-operatória, com igual esquema de observação após ter sido feita lesão eletrolítica total da área septal do macho dominante, observou-se uma acentuada e nítida diminuição da atividade social, principalmente agonística, havendo, por outro lado, um aumento de atividade exploratória e de auto-limpeza. Não foi claro entretanto, o surgimento de novo dominante na colônia. Assim a lesão septal do macho dominante parece provocar uma desorganização da estrutura social presente na fase pré-operatória, principalmente através da atividade agressiva desse animal, uma vez que a condição de dominância era mantida por esse comportamento. Alguns resultados preliminares da abordagem quantitativa da mesma questão indicam conclusões na mesma direção.

 

Lucion, A.B.; Sabbatini, R.M.E.; Covian, M.R. - Analisis neuroetologica del comportamiento social en ratas albinas: efectos de la lesion septal. Resumenes Comunic. XIII Congreso Latinoamericano de Ciencias Fisiologicas, Mexico, D.F., 10-14 julio, 1977.

Este trabalho teve por objetivo desenvolver uma metodologia etológica de registro e análise do comportamento de ratos albinos em condição semi-naturais, bem como estudar os efeitos da lesão septal. Foi preparado um ambiente experimental adequado, que permitia uma ampla visualização do comportamento. Foram formadas colônias (3 machos e 2 fêmeas) de ratos albinos Wistar. Neste contexto experimental, foi definido um catálogo de itens comportamentais. O registro consistia na observação direta e sistemática do macho dominante de cada colônia. Foi utilizado um gravador de áudio para registrar os códigos vocais correspondentes a cada item de comportamento. Depois de uma série de observações de controle, o rato dominante de cada colônia foi submetido a lesão eletrolítica total do septo, e depois devolvido à colônia para o registro pós-operatório. Foram estudadas 12 colônias (8 experimentais e 4 com lesões fictícias). Matrizes de transição foram construídas entre cada sequência de atos comportamentais, sendo testadas através de análise do X2. Este método permitia a construção da estrutura seqüencial do comportamento. Foi observado na fase de controle que o comportamento do macho dominante se concentrava no cheirar exploratório e na investigação social. A partir dai se formaram distintos aglomerados de itens. O padrão agonístico, formado por postura agressiva, investir, lutar e dominar associava-se a investigar. Na fase pós-operatória se observou um comportamento estereotipado de caminhar, intercalado por cheirar ou imobilidade. Também houve um aumento da reatividade emocional: o animal lesado saltava e retrocedia, quando outro membro da colônia entrava em contato com ele. Constatou-se a destruição do padrão agonístico, com diminuição da agressividade. A destruição do septo de um animal em meio social provocou alterações amplas que se refletiram no comportamento das colônia; o rompimento da estrutura do padrão agressivo da organização social da colônia: o animal lesado perdeu a dominância, e outro membro assumiu a condição de dominante. O método empregado permitiu uma análise ampla da estrutura do comportamento habitual, assim como das alterações provocadas pela a lesão do septo. Este trabalho demonstrou a potencialidade do método etológico para o estudo das bases neurais do comportamento.

 

Lucion, A.B.; Sabbatini, R.M.E.; Covian, M.R. - Neuroethological analysis of septal lesions in rats. Abstracts 28th. International Congress of Physiological Sciences, Budapest, Hungary, 1980.

Esta investigação foi desenvolvida com a finalidade de realizar uma análise dos efeitos da lesão eletrolítica da área septal sobre o comportamento social e individual de colônias de ratos Wistar adultos (3 machos e 2 fêmeas) em uma situação semi-natural. Foi empregada uma metodologia observacional direta e sistemática. Um catálogo de itens comportamentais (etograma) foi construído, e submetido a testes de concordância. A atividade do animal alvo (macho A) de cada colônia foi registrada em um gravador em um período de 15 min/dia durante 7 dias ao longo da fase pré-operatória (controle); o mesmo procedimento foi repetido na fase pós- operatória. Este registro foi decodificado e analisado através de um computador digital, onde foi construída uma matriz de transição de primeira ordem, e, a partir desta, uma associação seqüencial gráfica do comportamento. Também foi considerada a freqüência de cada item. Lesões septais foram realizadas em 10 machos A; e lesões fictícias, em 14. A lesão completa da área septal do animal alvo levou a um comportamento estereotipado de caminhar e cheirar; e a um decréscimo na sua interação social.

 

Lucion, A.B.; Sabbatini, R.M.E.; Covian, M.R. - Análise neuroetológica do comportamento social do rato albino: efeitos de lesões subcorticais do sistema nervoso central. Resumos das Comunicações do X Congresso Anual da Sociedade Brasileira de Fisiologia, São Paulo, SP, p.130. 1979.

Este trabalho teve por objetivo analisar os efeitos da lesão eletrolítica septal, amigdalóide e hipotalâmica sobre o comportamento social e individual de ratos albinos adultos, mantidos em colonias estáveis de 5 animais (3 machos e 2 fêmeas) de situação seminatural. Utilizou-se metodologia de observação direta e sistemática do comportamento. Construiu-se um catálogo de itens comportamentais, registrando-se a atividade de animal foco (macho A) em gravador de áudio durante 15 minutos por dia durante 7 dias na fase pré e o mesmo período na fase pós-operatória. Este registro era descodificado e analisado em computador digital, construindo-se matrizes de transição e a partir daí gráficos de associação seqüencial, contando-se também a frequência e a duração de cada item. A lesão total de septo do animal foco provocou uma atividade estereotipada de caminhar e cheirar exploratório; e uma reação defensiva ao contato social. A lesão do hipotálamo ventro-medial originou o aumento da atividade de brincadeira e do comportamento agressivo de defesa de território em direção ao macho estranho, que era introduzido diariamente na colonia. A lesão da amígdala cortical produziu alterações pouco significativas. A área septal estaria envolvida com a atividade de brincadeira, normalmente inibida pelo hipotálamo. Este seria responsável pela organização do comportamento em padrões fixos espécie específicos. A lesão septal libera-lo-ia, originando o comportamento estereotipado observado.

 

TESES RESULTANTES:

 

Lucion, A.B. - Desenvolvimento e Aplicação do Método Etológico ao Estudo dos Efeitos Comportamentais da Lesão da área Septal, Tese de Mestrado em Ciências pelo Departamento de Fisiologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (em co-orientação com o Prof.Dr. Miguel Rolando Covian), em 1977.

Lucion, A.B. - Tese de Doutorado em Ciências pelo Departamento de Fisiologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (em co-orientação com o Prof.Dr. Miguel Rolando Covian), em 1979.

Dr. Renato M.E. Sabbatini, Phd - 2004
 


Web Sabbatini.com

Copyright © 1995-2019 Renato Marcos Endrizzi Sabbatini
Last updated: 2/January/2019